Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Sociedade’ Category

Vai de férias e não voltes!

Read Full Post »

O massacre recente na Noruega voltou a introduzir pela milésima vez o tema do porte de arma. Ora, como seria de esperar surgiu a voz indignada da Esquerda representada por Francisco Louçã. Mais uma vez fomos brindados com moralismos e o choradinho sobre o controlo das armas. Nada de surpreendente pois a Esquerda em peso (PCP, BE, PS, PSD, CDS e tudo o resto) tem interesse em manter o controlo sobre o seu rebanho pois imagine-se que as ovelhas começam um dia a pensar que o seu pastor é um tirano e se unem contra ele. O cidadão comum é constantemente bombardeado com argumentos do medo para justificar o desarmamento da população e o policiamento e militarização estatais como meio de garantir a sua protecção, e como o medo é uma arma poderosa o debate intelectual fica estagnado.

Read Full Post »

Boas Intencões

Diz o ditado que “cheio de boas intenções está o Inferno cheio”. Este ditado não é levado muito a sério pois se o fosse as pessoas seriam mais desconfiadas em relação aos seus governantes. Notícias como esta devem-nos fazer pensar nas nossas crenças ingénuas em dois sentidos: em primeiro lugar, julgar as pessoas pelos seus actos e não se deixar levar pela aparência angélica de alguns políticos e pela sua retórica de promessas irrealistas (principalmente mulheres); em segundo lugar, as boas intenções não fazem necessariamente boas políticas. Mas muito boa gente sabe disto e as restantes são apenas ingénuas ou pouco inteligentes nos seus raciocínios. Dentro do grupo das pessoas que sabem disto, pode-se afirmar que a maioria são intelectualmente desonestas que não querem saber da Verdade nem dos princípios morais universais, é-lhes conveniente defender teorias utilitárias que justificam todo o tipo de intervenções nas vidas dos outros para que daí possam recolher os devidos “benefícios”. E é por estas razões que a esmagadora maioria das pessoas tem o sistema que merece e que, muitas vezes, os faz provar do seu próprio veneno: a Democracia.

Read Full Post »

Pedro Arroja explica bem neste post as caracteristicas que minam um debate racional:

“Factores que tornam impossível o debate racional de ideias:

-Falta de estudo prévio;
-Incapacidade de abstracção;
-Desfocalização (saltar do tópico para outro);
-Argumento ad hominem (pessoalizar o debate)
Excepcionalismo ou particularismo (argumentar com base em excepções ou casos particulares)”.

Read Full Post »

Uma das críticas como à eficiência do mercado é o facto de haver externalidades. O mercado não inclui todos os benefícios e malefícios nas transações. Existem side-effects como os problemas ambientais. Neste sentido, o mercado não pode ser uma boa resposta ao ambiente. Esta teoria é falsificada por Coese. Coese sugere o seguinte. Suponhamos que existe um lago onde todos podem pescar livremente. Como não existe nenhum interesse monetário para conservar a natureza, cada um pesca sem pensar que no ano que vem não haverá recursos. Ora, tendo isto em conta, a proposta de Coese consiste em privatizar o lago. Se o lago for privatizado, o gestor terá en consideracao o facto de que no ano seguinte tem de ter peixes no lago para poder ter clientes. Logo, a natureza é preservada pelo auto-interesse do proprietário.

Read Full Post »

Adam Smith afirmou que o auto-interesse na sociedade funciona de maneira a que todos beneficiem. Aqui está um exemplo que ilustra esse ponto de vista.

Read Full Post »

1984

http://www.lewrockwell.com/blog/lewrw/archives/026489.html.

Read Full Post »

Dou aqui uma lista dos livros e artigos que, a meu ver, são os melhores acerca de Lei Natural em Filosofia Política (dentro da tradição analítica).

Natural Law and Natural Rights, John Finnis

Natural Law and Justice, Lloyd Weinreb

Natural Law Theory: Contemporary Essays, Robert George

A Critique to the New Natural Law Theory, Russel Hittinger

How Persuasive is Natural Law Theory?, K. Greenwalt

Natural Law and Contemporary Moral Thought, Steven Smith

Natural Law: An Introduction and Re-examination, Kainz

Introduction to Jurisprudence (especialmente o terceiro capítulo), Freeman

The Blackwell guide to the philosophy of law and legal theory, Golding e Emunson

The Oxford Handbookd to Jurisprudence and philosophy of Law, Shapiro e Coleman

Read Full Post »

A era do pensamento único. Por Filipe Faria.

“Dizem-nos que a culpa da crise é da desregulação dos mercados e da falta de intervenção estadual no sistema bancário. Esta versão simplificada vende mais jornais, mas na realidade oculta pormenores que não encaixam no puzzle: o que não é dito é que foi precisamente através da intervenção da reserva federal americana que os bancos começaram a correr riscos suicidas. Como? Para convencer os bancos a colocarem mais dinheiro no mercado, estes foram incentivados através da fixação artificial de taxas de juros ridiculamente baixas. De forma análoga, foi concedida a protecção sobre as reservas dos bancos de forma a que estes jogassem as suas reservas no mercado. A acção governamental foi determinante para que os bancos tivessem a liberdade de arriscarem na oferta de empréstimos de retorno impossível. Em condições normais de mercado onde a responsabilidade do risco recaísse apenas e só sobre os bancos, a ponderação seria outra. A protecção governamental oferecida aos bancos terminou com uma total ausência de freios. Ademais, é frequentemente omitido que este processo não começou com o famigerado George W. Bush. O fenómeno está em curso há vários mandatos e o presidente Bill Clinton, visto por muitos europeus como um modelo de virtude, não o inverteu.”

Read Full Post »

O Estado tenta impedir que os indivíduos não sejam roubados roubando-os. Também protege os direitos individuais violando-os.

Justificação: o bem comum.

Read Full Post »

Não se pode provar a existência de Deus. Mas também não se pode provar a sua não-existência. Logo, a posição mais coerente e imparcial é o agnósticismo porque não se inclina para nenhum dos lados encarando-os com cepticismo.

Nota: a fé não é um argumento.

Read Full Post »

Um argumento muitas vezes usado pelos defensores do aborto é que o corpo de uma mulher é sua propriedade e, como tal, é livre de fazer o que quiser com ele. Este argumento costuma ser adornado com a relativização acerca do que é a vida humana. Ora, este argumento é falacioso. A problemática em volta deste argumento reside num conflito de direitos: o direito à vida e o direito de propriedade. Um raciocínio simples por analogia desmonta esta falácia. Por exemplo:

Se uma mulher tem direito a abortar porque o corpo é seu, então (caso não haja dúvidas de que o feto é uma vida humana) teremos de aceitar que uma mulher que esteja em sua casa (sua propriedade) possa maltratar uma criança (também sua propriedade) ou matá-la e escapar ilesa.

Read Full Post »

Se existe coisa de mais comum numa discussão são conceitos mal definidos ou ambíguos, um destes conceitos é o da inteligência. De acordo com o teste QI europeu, o conceito de inteligência parece estar relacionado com a quantidade de conhecimentos e com a rapidez de raciocínios e não com a capacidade para se fazerem bons raciocínios. Este teste tal como grande parte dos testes de inteligência incorrem sempre (ou quase sempre) na mesma definição.

Será que não ocorre a alguém pensar que uma pessoa pode ser ignorante por não estar a par dos temas e ao mesmo tempo ter capacidade para fazer bons raciocínios? Ora, tal seria possível se a pessoa X que é ignorante no assunto W passase a estudar este mesmo assunto e demonstrasse que afinal com a aquisição de conhecimentos do assunto W a pessoa X seria bem mais inteligente do que alguém que tivesse a pontuação máxima no teste de QI europeu.

E como é que se pode descobrir que alguém é inteligente? Qual será a correcta definição? A resposta parece-me simples. Alguém é considerado inteligente quando faz bons raciocínios, ou seja, raciocínios coerentes, lógicos. O facto de alguém ter muitos conhecimentos não significa que faça bons raciocínios, apenas mostra que tal pessoa lê muito e que tem boa memória, não garante que tenha espírito crítico e raciocínio lógico.

Read Full Post »

“Natalie Dylan, uma californiana de 22 anos, está a leiloar a sua primeira vez na Internet.
E parece que há um homem disposto a pagar uma quantia exorbitante pela primícia”. Ver aqui .

Read Full Post »

Recomendo

livre e real

 destreza das dúvidas

Pedro Arroja Grupo Financeiro

Guerra Colonial

e ,ainda, para combater a crise Seychelles Offshores .

Read Full Post »

Older Posts »